Detalhes do Produto

HomeSuplementosMax TitaniumCoenzima Q10 60caps Max Titanium
Ref: REF591291

Coenzima Q10 60caps Max Titanium

Coenzima Q10 60caps Max Titanium

Calcule o prazo de entrega
Calcule seu frete:
Calcular Frete
Prazo de Entrega Digite o CEP desejado e clique em Calcular Frete para obter o prazo dos Correios*
* Prazo a partir da confirmação de pagamento, sujeito a alterações pelos Correios
Como Pagar?
Comprar Compra Segura e entrega Garantida
Coenzima Q10 60caps Max Titanium
Coenzima Q10 60caps Max Titanium
Zoom Coenzima Q10 60caps Max Titanium
Miniatura 2
Avaliações
Descrição

Coenzima Q10 60caps Max Titanium, antioxidante importante para as funções do organismo.

Nome: CoQ 10 60 Cáps - Max Titanium

Gênero: Unissex

Indicado para: Treinamento

Glúten: Não Contém

Forma: Cápsula

Quantidade: 60 cápsulas

Recomendações de Uso: Tomar 1 cápsula 2 vezes ao dia.

Origem: Nacional

Marca: Max Titanium

COENZIMA Q10

É uma molécula lipossolúvel produzida pelo organismo humano. Está presente na carne bovina, sardinha, espinafre e amendoim. O envelhecimento, os maus hábitos alimentares, o estresse e infecções afetam a nossa capacidade de fornecer quantidades adequadas de Coenzima Q10. Portanto a suplementação é importante para o bom funcionamento do nosso organismo.

Uma das principais funções da Coenzima q10 é atuar como um eficiente antioxidante, agindo diretamente contra os radicais livres, destruindo essas moléculas responsáveis por doenças cardíacas e pelo envelhecimento precoce.

A deficiência de Coenzima Q10 pode causar mutações genéticas e síndrome nefrótica.

Benefícios em estudo da coenzima Q10:

- Controle do colesterol e triglicérides:

Em 2018, um estudo feito com 80 mulheres iranianas, todas com diabetes tipo 2, analisou os efeitos da coenzima Q10. Durante 12 semanas, foram administradas 100 mg por dia da substância para 36 participantes e as outras 44 mulheres receberam placebo. A pesquisa identificou que, no grupo que recebeu o nutriente, houve uma redução na resistência à insulina, na ferritina, no colesterol total e no colesterol LDL, ao mesmo tempo que o colesterol HDL aumentou significativamente. Além disso, o nível dos triglicerídeos no sangue também reduziu no grupo que recebeu o suplemento.

- Redução dos radicais livres:

Um outro estudo, também realizado em 2018, feito na Itália, analisou 21 homens atletas e jovens, que receberam suplementação com coenzima Q10 (200 mg/dia) durante 1 mês. Esses participantes foram comparados com um outro grupo que recebeu placebo. Antes e após uma sessão de exercício intenso (40 minutos de corrida) foi feita a coleta de sangue dos participantes. Os resultados mostraram que a suplementação causou resistência à privação de coenzima Q10, induzida pelo exercício. Além disso, a substância foi associada à redução de radicais livres e preservação da integridade do DNA. Entretanto, vale destacar que a suplementação não foi capaz de melhorar o desempenho físico ou reduzir o dano muscular nos atletas.

- Ação antioxidante:

Em 2019, pesquisadores investigaram os efeitos da suplementação com coenzima Q10 sobre o estresse oxidativo e a atividade de enzimas antioxidantes. O trabalho foi realizado com voluntários expostos ao cádmio tóxico, um tipo de metal prejudicial à nossa saúde. A suplementação com 120 mg diárias de coenzima Q10, quando comparado ao placebo, indicou uma redução significativa no estresse oxidativo e no aumento na atividade das enzimas antioxidantes, como superóxido dismutase e glutationa peroxidase.

Como a coenzima Q10 age no organismo?

A substância atua nas mitocôndrias, organelas presentes nas células do corpo, participando do transporte de elétrons durante a cadeia respiratória. O nutricionista Felipe Cardoso, doutor em Ciências Nutricionais pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e professor da Faculdade Bezerra de Araújo, explica que isso significa que a coenzima Q10 controla essa passagem dos elétrons, evitando oxidação, danos nas membranas celulares e promovendo uma boa concentração de água nas células. Por causa da sua localização intracelular (dentro das mitocôndrias), tecidos e órgãos com maior necessidade energética —neurônios, músculos, fígado e rins — se beneficiam mais da sua presença.